bandeira azul

Não nos podemos esquecer que em 2007 o Prof. Marcelo considerou Berardo a personalidade do ano. Este é mundo e o país onde vivemos e que aceitamos.

Enquanto isto, todos os anos por esta altura assistimos ao folclore da Bandeira Azul. Mais um ano que em batemos o recorde do número de bandeiras nas nossas praias.

Será que um dia ainda vamos saber as verdadeiras contas desta coisa?

Por princípio desconfio muito das certificações, selos e bandeiras… De todos os setores, o automóvel, é o mais exigente nesta matéria e o que mais certificações ostenta e exige. Lembram-se do que a aconteceu com a Volkswagen e com outras “respeitosas” marcas? Não preciso de mais nada para a minha generalizada desconfiança sobre este tema.

Durante anos, por funções dirigentes no Ministério do Ambiente, lidei de perto com a bandeira azul e com toda a corte à sua volta. Porque será que a Câmara Municipal de Cascais, desde há uns anos, ignora a bandeira a azul? As dezenas praias de Cascais perderam qualidade? Quanto custa esta fantochada a uma câmara municipal e quanto valeria se esse investimento fosse feito noutros aspetos como a segurança/vigilância? Suspeito que esta paranoia da bandeira bate recorde no nosso país. Em França vi praias com bandeira azul, poucas a têm, onde as pessoas passeiam de cavalo, imaginam isso por cá?

Quanto valeria um outdoor em Vilar Formoso, em Elvas, Vila Real ou na Portela,  do tipo: “País livre da Bandeira Azul” (as nossas praias são excelentes).

Deixe uma resposta

Adaptado de Esquire, de Matthew Buchanan