nacional 2 by Harley Davidson

esta é a primeira parte, de três, de uma viagem de Chaves a Faro, Portugal ao comprido, pela charmosa Estrada Nacional 2.

como sempre em Portugal poucos ainda compreenderam o enorme potencial deste produto turístico “on road”, porque tem de ser sempre assim?

https://www.dropbox.com/s/gf468eov1asamqi/en2%20by%20hd%20in%20ds%201.pdf?dl=0

terrorismo em Portugal

A ver se fica claro por uma vez: Portugal, desde há uns meses, é um país fortemente fustigado por atos de terrorismo. Desde 2014 que o escrevi, o fogo em Portugal é terrorismo. Finalmente parece que alguns comentadores, não responsáveis políticos, começam a admitir o facto, embora timidamente e sem chamar os bois pelos nomes. Perante o flagelo a que temos assistido só um louco é que acredita em causas naturais ou num doente mental pirómano que domingo à tarde se lembra de dar um passeio de motorizada e com um isqueiro pega fogo à floresta.

Continue reading

vida

vida, caminho de pedras ou flores

Há vidas inacreditáveis, num e noutro sentido. Quando esbarramos nelas sentimos bem o seu peso, escuridão ou virtude. Na prática muito mundana a grande questão é saber, como ultrapassar e sair de uma história escabrosa que, por alguma razão nos tocou? Estas histórias só me fazem sentido se houver antes e depois.

Continue reading

Lusitano – Porto no Observador

na crónica ao jogo no Observador consta este comentário por mim escrito:

tudo bom no que respeita ao meu Lusitano de sempre. o Porto não vi 😉

não foram só os de Évora ou alentejanos que gostaram, tenho a certeza que por esse país fora houve muito português que adorou rever o Lusitano – somos portugueses, somos Lusitanos.

os grandes clubes, podem ser pequenos, mas só eles teem destas coisas.

tive pena que os calções tivessem sido verdes e não brancos, como julgo ser o equipamento mais clássico e verdadeiro do Lusitano.

nesta terra alentejana, a melhor do mundo, vamos em frente Lusitano.

Arrábida by Marilyn

Telhados  de vidro, quem não os tem?

Provavelmente por razão hereditária paterna, cedo o meu gosto pelas duas rodas motorizadas se manifestou. O resto foi só uma questão de tempo, isto é, de trabalho. Para quem vive do seu trabalho, comprar uma moto, por muito grande que seja o sonho, dá trabalho. É preciso prescindir de alguma coisa e trabalhar para pagar o luxo de ter uma grande companheira. No que me toca, não há viagem como a de moto, o vento na cara, os cheiros, as curvas e as melhores paisagens não têm como ser melhor vividas. Depois de muitos anos com moto, por opção própria, houve a travessia do deserto e não gozei o privilégio de ter uma duas rodas durante uma dezena de anos. Até que, há meia dúzia de anos, o refrescante oásis bafejou a minha vida pela mão de uma Harley Davidson (HD), verdadeira peça de arte com rodas e motor. Tudo isto parece manifestamente exagerado, mas quem tem moto sabe do que falo.

Continue reading

Marilyn

Marilyn é a minha Harley que hoje inaugura uma nova categoria neste blogue.

Marilyn é, na verdade, Otros Mundos.

Uma mota é um sonho, uma Harley é divina.

Quem pode ter sabe o que escrevo, os outros consideram-me, no mínimo, parvo. Tentarei partilhar o melhor que sei para os convencer que a Marilyn me dá razão.

a terra treme – máxima importância http://www.otrosmundos.cc/2017/10/11/a-terra-treme-maxima-importancia-partilhe-este-link/ (partilhe este link)

A TERRA TREME 2017 – Exercício Público de Sensibilização para o Risco Sísmico

Sexta-feira, 13 de outubro, às 10h13

O exercício nacional A TERRA TREME realiza-se no próximo dia 13 de outubro (Dia Internacional para a Redução de Catástrofes), pelas 10h13.

Esta iniciativa é promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil e procura chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas.

Tem a duração de apenas 1 minuto, durante o qual os participantes são convidados a executar os 3 gestos que salvam: BAIXAR, PROTEGER E AGUARDAR.

Todos podem e devem participar: individualmente ou em grupo, em qualquer local onde se encontrem.

Muitas zonas do globo são propensas a sismos e Portugal é um território com zonas particularmente sensíveis a este risco. Nós estaremos em qualquer local quando começar um sismo: em casa, na escola, no trabalho ou mesmo de férias. Colocamos a pergunta: estamos preparados para enfrentar uma situação de sismo e recuperar dela rapidamente?

Conheça ou relembre os procedimentos que deve adotar antes, durante e depois de um sismo, e organize-se, à sua casa e família em 7 passos essenciais. Divulgue esta iniciativa junto da sua família, dos seus amigos e colegas de trabalho.

Aproveite a ocasião para relembrar os procedimentos que deve adotar antes, durante e depois de um sismo, a começar pela sua casa e a sua família.

Sexta-feira, dia 13 de outubro, às 10h13, lembre-se e adopte três gestos básicos de protecção em caso de sismo: BAIXAR, PROTEGER E AGUARDAR.

Trata-se de um gesto muito simples que será bastante útil durante a ocorrência de um sismo.

Lembre-se, sexta-feira, 13 de outubro às 10h13, A TERRA TREME

http://www.aterratreme.pt

hora para trabalhar

No dia 1, a maioria de nós cumpriu o seu dever. Terminada a festa, é agora o tempo do trabalho. As nossas memórias são curtas e pouco nos interessa o muito que nos prometeram. O verdadeiramente importante é termos condições para sermos felizes na terra onde nascemos, muito provavelmente a melhor terra do mundo para cada um de nós. Muito para além das cores partidárias, dos independentes ou dos movimentos de cidadãos – sim, porque estes também têm cor e se vos disserem que não, desconfiem e muito –, há a credibilidade, seriedade e valor das diferentes propostas. Como de betão, rotundas, pavilhões multiusos, etc., estamos todos mais ou menos conversados, isto é, endividados, talvez seja o tempo de olharmos para as pessoas.

Continue reading

vinho e tabernas

depois de Tabernas do Alentejo – arte e ciência ser um dos 38 projectos, em 600, ganhadores do Orçamento Participativo Portugal Coisas de Vinho voltou em setembro.

voltou em grande com Tiago Cabaço e Francisco Sabino, e o tema Enogastronomia.

fica, desde já, o convite para outubro.

noticia detalhada no Diário do Sul:

https://www.dropbox.com/s/1xgni5ai78zbzif/coisas%20de%20vinho%20e%20tabernas%20do%20alentejo%20DS_25set2017.pdf?dl=0

riscos naturais

Riscos naturais e perigosidade do território é tema sempre oportuno, as recentes ocorrências motivam-me a voltar ao assunto. Obviamente que incluo os incêndios. Os riscos naturais rodeiam-nos por todos os lados e não se pense que é lá longe, nas Caraíbas ou no México, é aqui à nossa porta. Imaginem que na Florida, depois do tufão, veio uma vaga de calor que também já fez vítimas. Por muito que a ciência tenha avançado, as incertezas continuam a ser muito maiores que as certezas, designadamente previsões, gestão, controlo, etc. Sabemos que ocorrências catastróficas já aconteceram e vão voltar a acontecer em todos os locais, regiões e países, pobres e ricos. Também temos a certeza que os meios de acção disponíveis (humanos e materiais), em caso de ocorrência, são sempre mais escassos que o necessário. Tudo isto são certezas. A grande incerteza é saber quando e onde? O que fazer? Avaliar e assumir a perigosidade/risco; prevenir e, em caso de ocorrência, ação rápida e eficaz de forma articulada por parte de todos os agentes de protecção civil.

Continue reading

Adaptado de Esquire, de Matthew Buchanan